< Voltar

Quando o luto cria um trabalho de amor – Andréa Murgel

A jornalista, que passou pela perda de um filho, lança livro e se especializa no acolhimento de quem enfrenta a dor

Foto: André Telles

Perder alguém é sempre muito difícil, imagine perder um filho. Passei pela maior dor do mundo quando, em 2013, meu amado Dudu partiu para o mundo espiritual. Entrei em luto sem sequer saber o que era isso, sem nenhum esclarecimento. Comecei a estudar e aprender com uma querida terapeuta, que já não está entre nos também, e decidi, dentro desse processo, ajudar as mães nessa loucura insana do processo de luto e da dor, criando em abril o blog maesvamosconversar como uma forma de desabafar e lidar com a minha dor.

Nos comentários, outras mães começaram a conversar comigo e foi quando percebi que, além de não estamos sozinhas, não há suporte e nem educação para o luto no Brasil. Não há preparação para falar sobre o assunto e nem para ajudar pessoas que perdem um ente querido, além de haver poucos centros preparados para atender psicologicamente essas pessoas.

Decidi reunir os textos do site e lancei meu primeiro livro, em 2014, chamado A Mariposa Azul. Símbolo de beleza, transformação e metamorfose, a mariposa é vista como a representação de entes queridos que se foram. Para muitos, assim como foi para mim, a visita de uma mariposa simboliza mensagens de paz, amor e tranquilidade.

Foi o início de um trabalho muito bonito, que deslanchou uma trilogia e o Projeto S.O.S Mãezinhas. No ano passado, lancei o segundo livro da trilogia, chamado Cristal. Nele, falo sobre o segundo e o terceiro ano após a partida de Dudu e sobre as fases do luto pelas quais passei, lembrando que nossos corações são fortes e frágeis ao mesmo tempo. Ajudar outras pessoas tornou a caminhada mais leve e trouxe um novo significado à minha vida.

Eu trabalhei muitos anos no mercado de seguros, mas meu conhecimento em comunicação e marketing foi fundamental para o estudo em relação ao luto. Há quatro anos, venho estudando e me formando em diversos cursos. Tomei coragem e agora estou cursando uma pós-graduação em São Paulo para me especializar em Acolhimento e Educação para o luto, pois vejo que esse é meu caminho. O contato via página do Facebook e do blog foi fundamental para tentar entender a dor de cada uma e mostrar para elas que não estamos sozinhas.

Agora, enquanto me preparo para finalizar a trilogia com a autobiografia que conta a minha história antes da partida de Dudu, estou apostando em um novo formato para poder continuar conversando com as mães: um novo canal no youtube. Na primeira temporada dos vídeos, que são lançados semanalmente às quartas-feiras, irei falar sobre o casamento, os filhos que ficam, a dualidade da morte, sobre os livros, datas festivas e o que não dizer para uma mãe enlutada. É uma ferramenta em desenvolvimento constante para o acolhimento do luto das pessoas que sofreram perdas irreparáveis em suas vidas.

O meu trabalho ao longo desses quatro anos tem sido e sempre será para desmistificar o luto, tornando a conversa um processo educacional de como conviver com a dor da perda. Tenho esperança de que a minha experiência pessoal ajude a todos os que sofrem com a partida de entes queridos. Tive que transformar toda a minha vida, mas faço com o maior amor do mundo e muita gratidão.

*Andrea Murgel é uma escritora carioca formada em Comunicação Social pela PUC-Rio e especializada em marketing pela ESPM. Empresária na área de seguros há quase 20 anos, também é terapeuta reikiana e voluntária em núcleos pediátricos de hospitais no Rio de Janeiro. De sua familiaridade com a leitura e com a escrita, sempre sonhou em ser autora. Estuda a educação para o luto há quatro anos e hoje é pós-graduanda em “Aperfeiçoamento da terapia para o luto”.

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone