< Voltar

Organização: arrumar pode ser terapêutico

Uma sessão doméstica ou profissional de arrumação ajuda a organizar a mente. Aqui vão ideias de especialistas.

 

A gente olha o armário e suspira: com a falta de tempo, calças se acumulam num mesmo cabide, roupa de verão e inverno se misturam, écharpes e cintos dividem o mesmo espaço. E quando se procura – e não acha – aquela chave de fenda, que a gente tinha CERTEZA de que estava ali naquele canto?

“Arrumar é diferente de organizar”, lembra a blogueira Thaís Godinho, que dá dicas do assunto, e publicou dois  livros  . “Arrumar é tirar um objeto da frente, jogar num armário e fechar a porta. É é fácil, mas não resolve o problema. O que resolve é organizar”.

E a diferença é que é organizar é achar soluções – para a casa, para a vida, para o tempo escasso que a gente tem.  Best seller do assunto, Marie Kondo ensina em A Mágica da Arrumação um olhar mais oriental e frugal sobre o espaço, resumindo ao máximo os itens da casa – mantendo os trazem felicidade e são úteis. Também as irmãs Cristina e Bernadete Mininel têm uma produção de livros que são verdadeiros manuais e comandam workshops de organização pelo Brasil. E também ressaltam: arrumar pode ser (aparentemente) fácil. Manter a ordem, aí é que são elas.

Vamos às dicas.

Separe um tempo determinado e um espaço limitado de cada vez. Não adianta querer resolver todos os problemas num dia – ou até em um fim de semana. Escolha um cômodo, ou um armário, e determine um prazo para organizá-lo – uma hora, por exemplo. Mantenha o ritmo por alguns dias e a diferença vai ser visível.

Eu preciso disso? Não tenha pena. Livrese do que não precisa. Doe, jogue fora, recicle o que não é útil ou não tem um valor sentimental de peso. Guardar TODOS os desenhos do jardim de infância dos seus filhos ou aquela fantasia de carnaval de dez anos atrás… bem, é tralha. Doe, deixe num bazar, mas livre-se do que não usa. Ou não ama de verdade.

Onde as coisas se atrapalham? Faça uma análise bem racional dos locais onde sua casa fica bagunçada. É a mesa de jantar, onde todo mundo deixa as sacolas, pastas escolares e chaves? É na cozinha, que transborda pacotes e tigelas? Com essa análise e uma boa conversa, você acha soluções. Um porta-chaves na parede, armários mais acessíveis na cozinha para guardar mantimentos ou talheres, um bufê na entrada da sala onde se possa deixar algum pacote..? Busque soluções.

Acostume todo mundo a limpar o que sujar. Na hora. Muita gente acaba penando para limpar uma panela porque não foi lavada logo, ou a pasta de dentes que caiu na pia virou uma pedra. O tempo se enrola quando não se resolve uma questão de limpeza na hora.

Faça um exercício. Arrume seu canto de trabalho, em casa ou no escritório, e tente mantê-lo assim por alguns dias. Veja quanto de tranquilidade e organização interna isso transmite, para você e para os que estão em volta. Arrumar por fora pode ser também arrumar por dentro.

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone