< Voltar

“O burlesco é lindo, divertido e uma libertação”

Carioca que descobriu no gênero suia linguagem criou festival que vai até 14 de maio no Rio

 

Meu nome é Isabel Chavarri, nasci na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, e sempre tive sonho de ser dançarina. Amo dançar desde pequena, mas sempre sofri preconceito no meio por conta de ser uma criança gorda, ao menos para os padrões da dança.

Encontrei no teatro minha válvula de escape, me formei como atriz e professora de teatro… mas ainda assim o mercado não me absorveu. Afinal, só poderia entrar sendo a gorda engraçada, comilona, rejeitada… de novo, padrões definindo como eu poderia exercer meu trabalho.

Sempre me agradou a linguagem de cabaré: rebelde, critica e debochada. Foi aí que eu entrei em contato com o burlesco. Quando encontrei esse universo, como Delirious Fenix, nome atribuído à atriz burlesca, percebi que era possível se expressar, dizer o que você quer, sendo você como é, sem atender a padrões e ainda ajudar outras pessoas a enxergarem isso também. Foi uma libertação!  Além de lindo é divertido e um excelente entretenimento.

São quatro anos de encontros maravilhosos com os melhores performers que já conheci, os melhores do mundo, entre eles Dirty Martini, Tigger!, Indigo Blue. São verdadeiros mestres que me ensinaram muito sobre o burlesco. Com todos, e também com meus mestres do teatro, foram encontros de amor.

E, com esse afeto, criei com uma parceira tambem apaixonada, Miss G, o Maior Festival de Burlesco do País – “Yes, Nós Temos Burlesco”. O festival que começou dia 11 e vai até o dia 14 de maio celebrará 50 anos da Tropicália de Helio Oiticica! Imperdível!

Hoje, com 36 anos, me vejo como uma mulher inteira, feliz, linda e cheia de amor ao redor! Porque tudo é uma questão de saber receber o amor e passar adiante. Estamos numa época de profundo desamor, onde as pessoas não se olham como irmãos, apenas como competidores.

Uma amiga, a grande perfomer Julie Atlas Muz (NYC), me disse que, para conseguir prender a plateia, era preciso entrar no palco com o seguinte pensamento na cabeça: “eu te amo”, como se estivesse apaixonada por cada um presente, e assim eles corresponderiam. E posso dizer que funciona!

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone