< Voltar

“Meus sonhos mais doces viraram realidade” – diz Monique Andrade, que queria ser bombeiro e virou doceira

Seu projeto de oficinas de confeitaria virou loja. Ela estará no Coletivo Basement, projeto que reúne produtores em Teresópolis, Rio de Janeiro.

Monique Andrade, dona da Sucré Coloré​, e Thaís Carvalho Gonçalves, da da Ahull Drinks / Fotos: André Pamplona

 

Minha principal lembrança da infância é a família reunida para celebrar qualquer coisa. Cresci em meio a festas e reuniões gastronômicas organizadas pelo meu avô em Teresópolis, onde passava as férias até me mudar de vez quando tinha apenas 8 anos. Tudo era motivo para estarmos juntos, e esse ambiente familiar acabou conduzindo toda minha vida até hoje.

Fiquei grávida perto do momento de prestar vestibular e resolvi adiar qualquer plano para cuidar do meu primeiro filho, Murilo. Comecei a trabalhar quando ele tinha 2 anos e voltei a estudar depois de terminar meu casamento alguns anos depois. Meu sonho era ser Bombeiro.

Conheci Sérgio Andrade, uma pessoa incrível por quem me apaixonei e não demorou muito para termos a Maria Clara.

A partir daí, a confecção de doces passou a fazer parte das nossas vidas. Primeiro, atendíamos pedidos de amigos e parentes. Eu ainda estudava e trabalhava no comércio em Teresópolis para aumentar a renda de casa. Fui reprovada em um concurso, a dificuldade financeira era grande e uma fase de depressão fez com abandonássemos o sonho de ter nossa empresa.

Sérgio e eu nos casamos, descobri que estávamos grávidos logo depois da lua de mel, a Isabella chegou e passei dois anos me dedicando apenas aos filhos. Não me arrependo de nada, mas me sentia exausta, tanto que aos 29 anos passei a ter arritmia cardíaca. Faltava algo na minha vida. Eu precisava trabalhar com o que gostava, precisava realizar meu sonho.

Tirei forças não sei de onde, fui ao Sebrae e decidi  investir as economias que tinha para formalizar minha empresa.

A Sucré Coloré nasceu assim, do meu sonho e do Sérgio. Nossos doces são carregados de uma história de dedicação. Nosso primeiro evento foi em agosto, na Casa de Portugal de Teresópolis. Foi um dos dias mais felizes das nossas vidas, foi a afirmação do nosso trabalho. Seguimos participando de eventos também no Rio e este mês vamos participar pela terceira vez do Coletivo Basement, que reúne pessoas incríveis, cheias de energia e que acreditando nos seus sonhos também.

A Sucré Coloré é a primeira confeitaria de Teresópolis a oferecer oficinas de doces e salgados para crianças e adultos em eventos gastronômicos e culturais. Ensinar é a nossa forma de levar nossos sonhos em frente. Hoje, sou uma pessoa feliz, agradecida a todos que me ajudaram e buscando sempre crescer mais.

 Monique Andrade tem 31 anos e vai inaugurar no começo de 2018 a primeira loja física da Sucré Coloré em Teresópolis.

SERVIÇO

Coletivo Basement

Data: 15, 16 e 17 de dezembro

Horário: Sexta, 18h às 22h; Sábado, 14h às 22h;  Domingo, 14h às 22h

Local: Sancho Panza Café – Avenida Oliveira Botelho, 68 – Bairro do Alto

Entrada gratuita

Instagram @coletivobasement

Facebook  coletivo basement

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone