< Voltar

Cães entendem, sim, a fala humana – palavras e também entonação

Pesquisadores da Hungria examinaram o funcionamento do cérebro dos bichinhos e concluíram que a compreensão das palavras é sofisticada e mensurável

cao2-capa

Todo o dono de animal tem certeza de que seu companheiro entende perfeitamente tudo que é falado ao seu redor. “Passeio” ou “comida” são palavras que têm efeito imediato nos bichinhos. Mas isso até hoje foi olhado como uma reação pavloviana – aliás, o cientista russo Ivan Pavlov pesquisou o condicionamento justamente com cães que salivavam ao ouvir uma sineta anunciando a hora da comida.

Mas não é bem assim. O que antes era percebido como entendimento somente por donos apaixonados agora é assunto científico e comprovado. Sim, os cachorros conseguem entender o que nós falamos. E não apenas “rua”, “biscoito” ou “deitado”.

Pesquisadores da Universidade Eotvos Lorand, em Budapeste, examinaram treze cães de diferentes raças em um aparelho de ressonância magnética funcional e estudaram suas reações à linguagem. Durante o processo, os animais foram expostos a múltiplas combinações de palavras e entonações.

Por exemplo, receberam elogios com entonação neutra e palavras neutras com entonação de elogio. A surpresa foi que os cachorros reconheceram todas as palavras independentemente da entonação. Ou seja, quando chamamos o bichinho de “lindo”, mesmo que isso seja em um tom sério, a parte do cérebro ligada à alegria é ativada.

O estudo, publicado na revista Science, mostrou também que a forma pela qual essas palavras são processadas no cérebro do animal é semelhante à do ser humano. Cães conseguem mais do que simplesmente entender um comando básico ou palavra isolada: eles interpretam elementos distintos para formar um novo significado para uma palavra. Usam o hemisfério esquerdo do cérebro para a função de entender as palavras e o hemisfério direito para processar a entonação, ou intenção – exatamente como os humanos.

A descoberta pode não somente facilitar a interação entre os seres humanos e seus bichinhos como também lançar uma nova luz sobre a evolução da linguagem. Sem dúvida, prova que a capacidade de aprender um vocabulário complexo não é uma exclusividade humana.

Os motivos para o desenvolvimento dessa habilidade nos animaizinhos ainda está sendo investigado, mas os cientistas acreditam que o processo de domesticação pode ter estimulado essa estrutura cerebral dos cães e que essa evolução aconteceu muito antes do que se acreditava.

O próximo passo dos nossos pets pode ser o dom da fala? É muito pouco provável que os animais desenvolvam as capacidades necessárias para falar nos próximos milhões de anos. Por enquanto, só na ficção do Dr. Doolittle.

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone