< Voltar

Beterraba, uma raiz que tem a força

Um alimento versátil e cheio de nutrientes importantes, a beterraba também ajuda nos treinos esportivos

 

A raiz vermelhíssima, nodosa e de sabor adocicado, tem como nome científico Beta vulgaris e é parente – acredite se quiser – da acelga e do espinafre.  Originária da costa mediterrânea, a beterraba é, desde o século XVIII, matéria-prima para a fabricação de açúcar. No Brasil, é menos consumida do que deveria – segundo especialistas, além de alimento extremamente versátil, é uma excelente fonte de nutrientes indispensáveis – inclusive o ferro, podendo ser um reforço essencial em dietas com pouca ou nenhuma carne vermelha.

Mas a beterraba tem, ainda, uma função especialmente importante para os atletas. Os nitratos, presentes nas folhas e na raiz, facilitam a chegada do oxigênio aos músculos e diminuem a pressão sanguínea. A nutricionista Patrícia Ruffo, gerente científica da Divisão Nutricional da Abbott, fala da “mágica” da beterraba para quem  gosta de malhar pesado.

– O suco de beterraba diminui o esforço que o coração precisa fazer para levar sangue e oxigênio até os músculos durante os exercícios físicos – explica a nutricionista. – Isso acontece porque a beterraba é uma excelente fonte de nitratos naturais, que o corpo converte em óxido nítrico, um composto que dilata os vasos sanguíneos e ajuda a diminuir a pressão arterial. Assim, o treino pesado pode ser mais longo, sem que a fadiga interfira.

Além do ferro, a beterraba é rica em vitamina C, potássio, cálcio e outros nutrientes que auxiliam no combate a anemia, no bom funcionamento do fígado e baço e na prisão de ventre, entre outras condições. A combinação do ferro com a vitamina C, especialmente, traz benefícios.

– A vitamina C faz com que o ferro seja melhor absorvido pelo organismo – lembra Patrícia. – O ferro, além de prevenir a anemia, serve também como um impulso para a hemoglobina, célula do sangue, no transporte do oxigênio para todo o corpo.

Uma dúvida comum cerca quem tem glicose elevada ou diabetes: a alta concentração de açúcares na beterraba pode ser prejudicial?

– Quem tem diabetes deve conversar com o médico ou nutricionista sobre as melhores opções de inclusão da beterraba na dieta – alerta a nutricionista. -Da mesma forma que no Brasil usamos a cana-de-açúcar, a beterraba é usada para produzir açúcar na Europa. Quimicamente, as plantas são similares, com 100% de sacarose . No caso das pessoas com diabetes e que estão com seus níveis de glicose controlados, é possível incluir a beterraba, por exemplo, em um cardápio balanceado, servida crua ou cozida na salada.

Quatro dicas sobre a beterraba:

 

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone