< Voltar

A vida de modelo começa aos 50. Por que não?

Agências especializadas em profissionais mais velhas ganham presença no mercado, inclusive no Brasil. Ainda bem!

 

A modelo inglesa Beverly, da agência Grey Models / Foto: Phillip Papadis

A modelo inglesa Beverly, da agência Grey Models / Foto: Martin Gardner

 

Um creme antirrugas promete abater dez anos na aparência das mulheres. O comercial do produto mostra uma modelo… que tem obviamente 30 anos e nenhum vinco no rosto. Como assim, produção?

A mentalidade que produz essas distorções está, felizmente, se alterando no mundo publicitário.

Em fevereiro, foi notícia mundo afora a contratação de uma modelo de… 81 anos! Isso aconteceu na Islândia (veja aqui a reportagem, em inglês).  Embora essa história represente – claro – uma exceção, sinaliza um novo olhar.

NASCE UMA AGÊNCIA

No seu aniversário de 50 anos, a paulistana Maria Rosa decidiu se dar um presente especial: um curso de modelo. Por pura diversão.

– Sempre fui alta e magra. Quando era bem jovem, fui convidada várias vezes para ensaios fotográficos, mas meus pais achavam que modelo não era uma boa profissão.

_MG_5097

Naquele curso de manequim, Maria Rosa percebeu que boa parte da turma era composta por mulheres mais velhas. No final, em 2008, viu uma oportunidade e não pensou duas vezes. Reuniu as colegas e decidiu criar uma agencia com a cara delas: mulheres com mais de 45 anos, bem cuidadas e que respondiam a uma demanda do mercado. Nascia ali a Fifty Models.

AS MAIORES CONSUMIDORAS

Vamos aos fatos: mulheres com mais de 45 anos são as que mais consomem. Nessa faixa, elas atingiram o auge de suas carreiras e finalmente estão tendo tempo de pensar em si, com os filhos a caminho da autonomia. Mas ao abrir uma revista de moda ou ligar a televisão, essas mulheres quase nunca estão representadas.

A inglesa Rebecca Valentin criou a Grey Model Agency , agencia especializada em modelos acima de 35 anos e que vem colocando suas ‘meninas’ na London Fashion Week.

– As marcas devem reagir à pressão do mercado – ela conta, em entrevista por email. – A representação tradicional da modelo jovem usando roupas tamanho 38 é antiquada e certamente não atrai o grupo que é responsável pela maior parte dos gastos em muitos produtos, inclusive os de luxo.

Para Rebecca, o motivo que leva as mulheres mais velhas a se tornarem modelos não é diferente do impulso das jovens.

– São mulheres que se sabem bonitas.

BELEZAS MADURAS

A Fifty Models, que trabalha somente vinte e cinco modelos, só aceita agenciar mulheres acima dos 45 anos. A seleção é rigorosa.

– Decidimos dar a volta por cima da invisibilidade a que somos relegadas pelo mundo da moda. Não há nada feito especialmente para nós, e ao mesmo tempo somos as maiores consumidoras. A mulher da meia idade é a primeira a se esconder, como se o passar do tempo fosse um fato perturbador. Mas a experiência de vida significa saúde, experiência e beleza para todos nós – diz Maria Rosa, que lançou em março seu livro O luar profano da outra lua (Ed. Revolução)

As modelos se sustentam principalmente com publicidade e fazendo ensaios para pequenas marcas. Mas, apesar da abertura do mundo publicitário, a agente ainda acha que o mercado de trabalho pode ser bem maior.

– O mundo da moda ainda nos faz enxergar a mulher de cinquenta anos como uma velha. Longe disso. Analise dezenas de fotos dessas mulheres todos os dias e posso falar com certeza que elas são realmente lindas.

E nunca é tarde para se achar bonita e iniciar uma carreira de modelo. Quem sabe?

PARA SUBIR A AUTOESTIMA E BRILHAR NA MATURIDADE

– DICAS DE MARIA ROSA DA FIFTY MODELS:

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone